• Zé Ricardo (TrEiNoPeT)

O que é "Reatividade" em cães?

Atualizado: Mar 5

Seu cão é do tipo que não pode:

. ver e/ou ouvir o som de uma motocicleta barulhenta sem começar a latir e ficar extremamente agitado?

. passear de forma prazerosa, pois late para pessoas e deixa de te escutar?

. ver outro cão sem partir para cima energicamente e começar a latir?


Talvez você tenha tentado ajudar seu amigo peludo de alguma maneira, mas, infelizmente, não viu resultados e se sentiu frustrado.


Todos esses comportamentos são, usualmente, chamados de 'Reatividade' (são reações excessivas em relação a certos estímulos). Nós, os humanos, temos a responsabilidade de reconhecer esses comportamentos, bem como de encontrar uma maneira eficaz de ajudar nossos cães. Afinal, queremos proporcionar bem-estar a nossos cães, e cachorros que apresentam essas reações estão em sofrimento praticamente contínuo. Além disso, quando tratamos esse problema, também trazemos benefícios enormes para nós mesmos e para nossa família, nossos vizinhos e outras pessoas e animais.


Se você se identificou com as situações mencionadas acima, tenho uma boa notícia para você: é possível modificar a maneira como seu cachorro se sente em relação a estímulos que, em função de suas experiências acumuladas, provocam nele uma reação decorrente de exagerado desconforto.


Shiba é a que está à frente.

Quando eu digo que é possível, me refiro não apenas aos casos fáceis. Para ilustrar, vou citar resumidamente o caso da SRD Shiba (você sabe!), uma cadela que teve uma vida caótica (só Deus sabe), foi resgatada da rua já bem adulta (três anos) e levada para um apartamento com pessoas absolutamente estranhas para ela. A Shiba puxava tão forte que quase se enforcava e latia tanto e de tão longe para quase qualquer coisa que se movesse que era praticamente impossível passear. Os horários, as ruas e até o lado da calçada de cada trecho de rua tinham que ser pensados, o que não era garantia de tranquilidade. Só para que você tenha uma ideia, ela avançava e esbravejava de tão longe quanto 50 metros para cães, e mais de perto para gatos, pombos, pessoas de boné e mochila, bicicletas, motos, skates, carrinhos de bebê, carrinhos de feira, crianças pequenas... Hoje, ela é uma princesa que passeia maravilhosamente bem e até interage e brinca com uns poucos cães 'selecionados'. De tudo que a incomodava, só há duas coisas que eu ainda preciso treiná-la especificamente: skates e motos barulhentas. Ela não é 'perfeita', mas é difícil de acreditar que seja a mesma 'pessoa'.


(pausa e mudança para 'prevenção')


Ainda que você, felizmente, não esteja lidando com nada semelhante, pode acreditar que essa tal de 'Reatividade' é um problema bastante comum. É, na verdade, um dos motivos pelos quais nós, adestradores, somos mais frequentemente chamados.


Talvez você tenha prevenido esse tipo de problema desde que seu cachorro era um filhote, seja por ter socializado e educado seu cãozinho sob orientação de um bom profissional, seja porque você utilizou bem seus conhecimentos e sua intuição para garantir que seu peludo tivesse boas experiências e criasse associações positivas em relação a pessoas, animais e coisas do cotidiano urbano.


Por outro lado, se você tiver um filhote ou um cão adulto recém-chegado à sua casa e quiser contar com a ajuda de um educador de cães, não deixe para depois: entre em contato hoje mesmo! Não deixe que o mundo treine seu cachorro ao acaso, seja proativo e assuma o controle.


(voltando ao ponto onde pausamos)


Como eu disse antes, é possível modificar a maneira como seu cachorro se sente em relação aos 'gatilhos da reatividade' dele. Eu recomendo fortemente que você faça isso sob orientação de um profissional qualificado, atualizado, preocupado com o bem-estar animal e cuja prática esteja fundamentada na ciência do aprendizado e do comportamento.


A partir deste exato instante e até que o profissional escolhido te oriente de outra forma, o que você deve fazer é evitar que aconteçam as coisas que fazem seu cão reagir. Evitar que aconteçam episódios de reatividade é extremamente importante, já que cada vez que seu cachorro ensaia/pratica o comportamento indesejado, aquela emoção fica mais gravada na mente dele. Se o 'tratamento' ainda não foi iniciado, isso significa que o problema pode piorar, além de ficar mais difícil de melhorar. Se o cão já está sendo reeducado, isso pode significar andar várias casinhas para trás no progresso que vinha sendo obtido com tanto suor.


Conclusão:


  • Primeiro, prevenir, construindo emoções e comportamentos desejáveis;

  • Segundo, controlar, evitando que o mundo ensine e/ou confirme as lições erradas a seu cão;

  • Terceiro, reeducar, para esmaecer as experiências ruins e criar novas associações positivas.


E você sempre vai poder contar com o apoio de um profissional dedicado e comprometido em melhorar a vida do seu amigo e da sua família!


Agora, por que você não se inscreve no meu blog? Não só você vai ser avisado antes de todo mundo quando um novo artigo for publicado, mas também vai poder deixar aqui seus comentários. Eu quero muito saber mais sobre suas experiências com seu amiguinho ou amigão.

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

(21) 99909-8095

©2019   TrEiNoPeT.CãO.bR

Todos os Direitos Reservados