• Zé Ricardo (TrEiNoPeT)

Seu Cão Filhote Chegou!



Esteja atento aos "sinais de eliminação" do seu filhote


Treinar seu filhote a fazer as necessidades no local determinado é um processo duplo. Primeiro, ele deve aprender a se aliviar no local determinado e, então, ele deve aprender a reter a urina e as fezes até chegar nesse local.


Um filhotinho precisa ser levado até seu "banheiro" a cada hora e sempre depois de comer, brincar e dormir. Também é imprescindível observar atentamente o comportamento dele e perceber quando ele estiver mostrando "eu tenho que me aliviar já".


O tempo de atenção de um filhote já é curto, mas fica ainda mais curto quando ele precisa se aliviar. Se você estiver, por exemplo, brincando com ele e, de repente, ele ficar distraído, parar e se afastar, isso pode significar que ele precisa ser levado ao "banheiro" imediatamente. Se ele se desconecta de você e começa a vagar, provavelmente ele precisa se aliviar naquele momento.


Há também o sinal clássico de que o filhote está prestes a "se agachar", que é quando o filhote começa a dar voltinhas e cheirar o chão.


É imprescindível aprender a ler esses sinais, mesmo os mais sutis, além de manter o filhote sob constante observação, para que você o leve ao "banheiro" antes e não com o xixi ou o cocô já inicia(n)do fora do lugar determinado.


Nunca deixe um filhote sem vigilância. Nos momentos em que você não puder supervisioná-lo 100%, deixe-o em uma área delimitada por um cercadinho, num pequeno cômodo separado por um portãozinho de bebê ou numa caixa de transporte. Nunca é demais lembrar que o filhote precisa ser previamente preparado para se sentir calmo e confortável nesses locais.


Perceba quando seu filhote sentir medo


Ao começar a socializar e treinar seu filhote (idealmente, desde seu primeiro dia em casa), é extremamente importante captar seus sinais sutis de ansiedade ou medo, já que é essencial evitar que o desconforto dele aumente.


Um filhote medroso costuma ficar em pé ou sentado com a cabeça baixa, com as orelhas para trás, com o corpo curvado e a cauda baixa. Ele pode não conseguir olhar diretamente para aquilo que ele supõe ser uma ameaça ou pode expor o branco dos olhos (alguns chamam isso de olho de baleia). Outros sinais de medo são ofegar ou bocejar sem motivo aparente.


Um filhote alegre e ativo que congela de repente, provavelmente está com medo de algo, e se ele se sacode inteiro como se estivesse molhado, e quase certo que esteja "expulsando o estresse" imediatamente após um evento causador.


Brincadeira normal ou "brincadeira" agressiva


Brincadeira de filhote envolve muitos comportamentos animados, como perseguir, rosnar, latir, atacar e morder. No meio disso tudo, é difícil saber se o filhote está brincando normalmente ou se está mostrando sinais de agressão real. Saber a diferença é de uma importância absoluta.


Numa brincadeira normal, o filhote costuma fazer a posição de "convite para brincar" (quando abaixa a frente e eleva a garupa), abanar o rabo, pular para frente e para trás, latir com a "voz" aguda, rosnar e "atacar" espontaneamente. Não há problema nesses comportamentos, a menos que se tornem extremos.


Porém, rosnado prolongado e profundo, olhar fixo, postura rígida e agressão como reação a um estímulo (em contraposição a "ataques" espontâneos) são indicação de problema. Esses comportamentos agressivos podem resultar de medo, territorialidade, conflito ou dor.

Para que seu filhote amadureça e se torne um bom cidadão canino, ele precisa aprender a brincar direito, e você pode ajudá-lo das seguintes maneiras:


· Tenha sempre um brinquedo "escondido na manga" e atraia a atenção do seu filhote assim que ele iniciar um comportamento inadequado.


· Quando seu filhote morder com força durante a brincadeira, diga "ai" (ainda que não tenha doído tanto) e pare de brincar imediatamente.


· Se as orientações acima não estiverem surtindo efeito, retire-se do local da brincadeira, ignore completamente seu filhote por 30 segundos ou um pouco mais e, então, volte a brincar como se nada tivesse acontecido.


· Alguns filhotes podem ficar muito excitados rapidamente. Nesse caso, evite brincadeiras intensas.


· Use coleira e guia para controlar rapidamente um comportamento inadequado, mas sem dar trancos ou puxões. É importante combinar uma coleira, um peitoral ("easy walk") ou um cabresto ("gentle leader") com o temperamento e as necessidades de treinamento de cada filhote.


Ajude seu filhote a entender o mundo humano


Tão importante quanto aprender a interpretar a comunicação de seu filhote é ajudá-lo a entender o seu mundo. Aqui estão cinco coisas que você deve fazer para ajudar seu filhote a se tornar um adulto autoconfiante e equilibrado:


1. Manuseie seu filhote – segure e toque seu filhote todo, mas sempre com gentileza, e recompense a aceitação com um petisco especial. Prepare-o para a vida que está a sua frente, quando ele vai precisar aparar as unhas, limpar as orelhas, escovar os dentes, tomar banho, ser examinado pelo médico veterinário, ter sua pelagem escovada e/ou tosada etc..

2. Socialize seu filhote – apresente-o a pessoas de todas as idades, formas, aparências e tipos de vestimenta, bem como de todos os tamanhos e jeitos de se expressarem, sem se esquecer de oferecer a ele petiscos deliciosos. Aqui vai uma boa orientação a ser seguida nos dois primeiros meses do seu filhote com você (no terceiro e no quarto mês da vida dele):


· Apresente-o a tantas pessoas, animais, lugares, situações, visões e sons saudáveis ​​e seguros quanto possível (pelo menos três novos seres vivos por dia);


· Incentive-o (o que não significa forçá-lo) a explorar e investigar o ambiente, sempre sob supervisão;


· Exponha-o a muitos brinquedos, brincadeiras, superfícies, escadas, elevadores e outros estímulos;


· Ensine-o a gostar da/relaxar na caixa de transporte ou outras áreas restritas;


· Leve-o a muitos passeios de carro com você, cada vez para um lugar novo (se possível, todo dia).


3. Faça barulho para seu filhote – exponha-o a objetos barulhentos e barulhos, como o aspirador de pó, a campainha, o interfone, o telefone, o liquidificador, o soprador (secador com ar frio), veículos automotores, tempestades e fogos de artifício. Comece com uma distância maior e/ou uma intensidade menor para que ele fique calmo e confortável enquanto é recompensado com petiscos, brincadeiras ou a refeição do dia. Aumente o desafio de modo gradual. Você pode iniciar reproduzindo áudio com volume baixo e progredir até chegar às situações reais, respeitando o ritmo do seu filhote.


4. Se você for do tipo precavido, aproveite esse período para habituar seu filhote com coisas que ele poderá vir a usar. Guia e coleira/peitoral/cabresto são certezas, mas há também a possibilidade de que ele venha a usar casaco, bandagem, colar elisabetano, focinheira etc.. Existe uma maneira eficaz de criar associações positivas e agradáveis com o uso dessas coisas.


5. A ciência mostra que é mais fácil para um cérebro se lembrar de uma experiência ruim do que das boas. Por isso, faça a sua parte para garantir que todas as experiências oferecidas ao filhote estejam, tanto quanto possível, sob seu controle. Certifique-se de encher o cérebro do seu filhote de associações positivas e agradáveis. E, depois que suas tarefas imediatas de socialização do filhote estiverem concluídas e seu cão estiver a caminho de se tornar um adulto equilibrado e seguro, continue a oferecer a ele oportunidades frequentes de novas experiências com resultados positivos e agradáveis pelo resto de sua vida.


Leia também o artigo 'Imprinting e Socialização'.


Lembre-se que você poderá contar sempre com um adestrador profissional para ajudá-lo a garantir o bem-estar dos membros humanos e caninos da sua família.


Este artigo foi traduzido e adaptado do artigo original que você encontra aqui:

https://healthypets.mercola.com/sites/healthypets/archive/2019/09/13/how-to-understand-your-puppy.aspx

Eu o publiquei pensando no Zeno, do Pedro (ou no Pedro, do Zeno?) : )


  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

(21) 99909-8095

©2019   TrEiNoPeT.CãO.bR

Todos os Direitos Reservados